Como tudo, cozinhar tem diferentes conceitos, estes diferem de pessoa para pessoa, e com tal, há que goste, há quem não goste, há quem ache uma verdadeira seca e há quem adore... são opiniões, e apesar de cozinhar ser a minha verdadeira paixão, não torna este facto discutível... embora sinceramente me custe muito a perceber como é que é possível haver quem não se sinta contagiado pela fascinante arte de cozinhar, de conjugar aromas, sabores, cores e perfumes, de todo o ritual da preparação de um prato, da emoção e excitação de procurar um perfeito equilíbrio dos ingredientes e assim ver nascer novos sabores, pratos, cozinhas, de não ficar maravilhado com toda a alquimia, quase magia que se passa numa cozinha.... Mas, enfim são opiniões!! No entanto o que não é discutível é o prazer da mesa, porque sejamos sinceros, quem não encontra alegria em prato algum, têm um grave problema, pois o tempo em que a alimentação era um mero acto de subsistência já lá vai há muito.....  E assim porque o mundo da cozinha é vasto, para todos os que não gostam de cozinhar, para todos os que não têm tempo e para todos os outros não queria deixar de partilhar uma cozinha inventiva, original, alegre, colorida, musical, e muito... minha!!!

quinta-feira, 13 de Outubro de 2011

Frutos de Outono com tempo de Verão





Se há coisa que adoro do Outono, são os frutos que aparecem nesta altura, ou seja, os diospiros e as romãs. As romãs até são bastante refrescantes, mas os diospiros, na minha cabeça, sempre ficaram associados aos primeiros dias de chuva e de frio.... em que nada era mais reconfortante, do que ficar em casa, no quentinho, a comer diospiro às colheres!!! Mas parece que isto anda tudo às voltas, e lá se foi os meus dias de chuva a comer diospiro às colheres, assim resolvi adaptar estes frutos para algo refrescante, que soubesse bem neste dias quentes.

Romã




Continuo a dizer que para mim é um fruto de Outono, mas as minhas ideias foram se alterando aos poucos quando li um livro passado no Egipto, que comiam romã para matar a sede, e refrescar, o que fazia todo o sentido. Realmente é um fruto, cheio de sumo, e podemos tirar o máximo deste partido refrescante e sumarento. Podemos romper as sementes para largarem o sumo, que vai ser ser ideal para fazer sumos, gelados, mousses, molhos, etc. ou deixar as sementes intactas e utilizar em saladas, em que vão largar o sumo apenas quando as trincarem, criando uma textura muito interessante. 
Como este fruto é proveniente do Médio Oriente, resolvi fazer uma salada Fatouche (adaptada claro), típica destas paragens. Consiste em alface, tomate e pepino aos cubos, rodelas fininhas de cebola e rabanete, hortelã picada, romã e pão sírio cortado em pedaços pequeninos e um molho à base de zaathar (especiaria) e limão. Esta salada é ideal para entrada, ou mesmo para servir como refeição, apesar de não ter proteínas (carne ou peixe), é muito rica e têm um contraste de sabor, texturas e mesmo cores muito interessantes. Mas qualquer salada vai bem com romã, desde pequenina que a minha mãe a juntava sempre na salada, nesta altura do ano, mesmo que fosse uma salada só de alface para acompanhar o jantar, dá logo um toque especial e muito agradável. 




Em segundo lugar lembrei-me de juntar vários sabores mais orientais e fiz um refresco delicioso de Romã. Jasmim e flor de laranjeira é a mistura ideal para um refresco,muito levezinho, muito fresquinho, ficou mesmo fantástica. Esta conjugação de sabores pode ser utilizada também para fazer sobremesas, gelados, mousses, o que quiserem, porque é fora do vulgar, mas muito suave, por isso agrada todos os gostos. Outras misturas que podemos fazer é juntar com laranja (mesmo só uma salada de laranja e romã fica delicioso), com hortelã (para sumos, ou mesmo mojitos ou qualquer sobremesa) e por fim, para aqueles mais aventureiros, com água de rosas.  


Para finalizar, não posso deixar de dizer que sempre me identifiquei com este fruto (identificar com comida ou ingredientes é um bocadinho subjectivo, mas sabem o que eu quero dizer algo que sempre me suscitou interesse e fascinação e aquelas coisitas todas), e descobri bem à pouco tempo que é considerado o fruto da paixão e da fecundidade, isto aliado à sua cor Pink Pink, não podia ser um fruto mais Girly. 


Diospiro


Basta olhar para aquelas cores quentes, que sinto-me logo reconfortada. Mais uma vez é uma fruta vinda também dos lados orientais, desta vez da China. É um fruto com propriedades muito especiais, pois é rico em pectina, o que faz com que tenha uma textura muito particular, e o torna ideal para fazer compotas e molhos espessos, sem ser preciso adicionar qualquer espessante. 
Se gostarem mesmo muito de diospiros, especialmente de comer à colher podem passar por uma varinha mágica e congelarem, pois altera em muito pouco o sabor e quando apetecer, é só descongelar. Se forem mais dados a experimentar coisas novas, podem se atrever a fazer um gelado, como eu fiz. As maneiras de o fazer podem depender de muita coisa, se tem ou não maquina de gelados, se querem um gelado de fatia ou de bola, tudo altera um pouco, mas eu sugiro que procurem informações sobre açúcar invertido, e o utilizem sempre que façam qualquer gelado, pois é uma grande ajuda à vários níveis. Voltando ao diospiro, o meu gelado foi feito meio á pressa, simplesmente deixar o diospiro cozinhar num tacho, juntar o açúcar invertido, um pacote de natas e congelador e o resultado está à vista. Digo-vos que é maravilhoso. Mas ainda há muito mais coisas que podem fazer, se procurarem na internet encontram uma data de receitas de mousses e bolos, mas se tiverem com vontade de arriscar e fazer coisas novas, que sinceramente o que eu sugiro, posso dar umas ideias de combinações diferentes: chocolate branco (não torçam já o nariz, surpreendentemente é um casamento perfeito), sésamo, manjericão e sem experimentar arrisco-me a dizer que também vai ficar muito bem com jasmim e/ou flor de laranjeira.



Quem se atreve a ir para a cozinha aventurar-se nestas ideias novas??? Força, eu torço por vocês... Depois contem-me tudo!!
Bons cozinhados e até breve ;)

1 comentário:

  1. Diospiro e canela também fica muito bom. Gostei da ideia de poder congelar o diospiro, nunca me tinha lembrado de tal coisa, logo eu que congelo, figos, ameixas e morangos para usar em compotas e chutneys.

    ResponderEliminar