Como tudo, cozinhar tem diferentes conceitos, estes diferem de pessoa para pessoa, e com tal, há que goste, há quem não goste, há quem ache uma verdadeira seca e há quem adore... são opiniões, e apesar de cozinhar ser a minha verdadeira paixão, não torna este facto discutível... embora sinceramente me custe muito a perceber como é que é possível haver quem não se sinta contagiado pela fascinante arte de cozinhar, de conjugar aromas, sabores, cores e perfumes, de todo o ritual da preparação de um prato, da emoção e excitação de procurar um perfeito equilíbrio dos ingredientes e assim ver nascer novos sabores, pratos, cozinhas, de não ficar maravilhado com toda a alquimia, quase magia que se passa numa cozinha.... Mas, enfim são opiniões!! No entanto o que não é discutível é o prazer da mesa, porque sejamos sinceros, quem não encontra alegria em prato algum, têm um grave problema, pois o tempo em que a alimentação era um mero acto de subsistência já lá vai há muito.....  E assim porque o mundo da cozinha é vasto, para todos os que não gostam de cozinhar, para todos os que não têm tempo e para todos os outros não queria deixar de partilhar uma cozinha inventiva, original, alegre, colorida, musical, e muito... minha!!!

domingo, 16 de Outubro de 2011

Pão nosso de cada dia

Hoje é o Dia Mundial da Alimentação, e também desde à cinco anos para cá, o Dia Mundial do Pão!! Na minha opinião, acho que faz todo o sentido juntarem os dois no mesmo dia, ou não fosse o pão, como sabemos um alimento bem carregado de simbolismo, caracterizado por ser a base da alimentação de todo o mundo!!

Confesso que pão é uma das minha maiores perdições!! Pão branco, pão com azeitonas, pão integral, pão com sementes, pão de centeio, pão de mistura, pão com especiarias, pão de nozes, pão de queijo, pão com chouriço, pão pita, focaccias... Hmmmm que bom!! E depois há outra coisa, acho que o pão, é o único alimento que vai bem com qualquer ingrediente, manteiga, azeite, tomate, queijo, fiambre, presunto, doce, fruta.... É absolutamente delicioso com tudo, no entanto é igualmente delicioso sem nada, principalmente quando acabou de sair do forno (aiiii, e o cheirinho que é? definitivamente impossível de resistir)!!

Com tanta variedade, confesso que foi difícil a escolha do pão que ia fazer para celebrar este dia, é tudo tão bom!!! Mas depois de pensar bem e por acabar por não me decidir por nenhum, resolvi não fazer nenhum pão, mas sim pegar no meu pão favorito, e fazer duas receitas com ele, afinal estamos a festejar o pão como base da alimentação não é verdade???


Em primeiro lugar, remontando as origens, optei por um prato tradicionalmente português, a açorda!!! Mas afinal de contas, festejar este dia mundial da alimentação não pode ser só fazer uma receita, mesmo que esta tenha como ingrediente principal, o pão, e que para além disso, seja também, uma receita base da alimentação portuguesa... Mas achei que podia fazer mais, que devia sim, neste dia, pegar nas tradições e bases, mas também juntar um pouco do que é a alimentação nos dias de hoje!! Então resolvi fazer uma receita nova de açorda de marisco  dada por um querido amigo (continuo a achar, que os mariscos são de certa forma os ingredientes de festa, e afinal de contas hoje é dia de festas). A receita é tradicional, mas é especial porque dá-se muita atenção aos pormenores. Podemos dizer que o objectivo numero um é realçar os sabores que podem ficar de certa forma escondidos, como o alho e o azeite, e o próprio sabor a marisco. E o objectivo numero dois, é dar particularmente importância á textura, que cada vez é tida em conta nos pratos realizados nos dias de hoje!! Na minha opinião esta receita. com estes pormenorzinhos que podem à primeira vista parecer insignificantes, mas que no final de contas fazem toda a diferença, aliados à importância da tradição e da qualidade dos ingredientes, não podiam de maneira nenhuma caracterizar melhor o que se pretende da alimentação nos dias de hoje, principalmente ao nível da restauração!!!




Em segundo lugar, a receita escolhida, não remonta à cozinha das minhas origens, mas sim à minha cozinha preferida, a cozinha italiana. Mas claro que foi preciso adaptar ligeiramente e usar o nosso delicioso pão alentejano. Só para termos em conta mais uma vez a importância do pão, esta é uma receita típica da cozinha italiana, uma receita que mais uma vez faz, é base da alimentação, e que mais uma vez é feita com pão!! Estamos a falar de bruschettas!! Confesso que é algo que adoro!! Não podia ser uma receita mais simples e mais rápida, e também não podia ser mais deliciosa!! 


Para quem não conhece as bruschettas consistem em fatias de tão torradas no forno, em que podemos colocar qualquer ingrediente (ou conjunto de ingredientes em cima), incluindo ou não queijo!! No fundo é como se fosse um misto entre meias-tostas (só uma fatia de pão), e de pizzas!! Tradicionalmente são feitas apenas com tomate e mozzarela de buffala (muitas pessoas utilizam queijo mozzarella ralado curado, aquele que vai já em pacotinhos, quando querem utilizar queijo mozzarella para gratinar algo, mas tipicamente utiliza-se o mozzarella de buffala, pois tem um sabor mais forte, e devido á sua gordura, fica com uma textura particularmente agradável quando é derretida)!! Hoje em dia fazem-se bruschettas de tudo e mais alguma coisa, primeiro há quem substitua as fatias de tomate por molho de tomate, ou pesto, e para além disso ainda podem colocar legumes, ou então colocar apenas queijo, escolher outro queijo em vez do mozzarella, como por exemplo o brie, e juntar doce depois de sair do forno, ou ainda tostar só com azeite no forno e colocar os ingredeintes crus sem irem ao forno, é assim que se fazem por exemplo as bruschettas de presunto e figos (se bem que tradicionalmente, já não são consideradas verdadeiramente bruschettas)!! A imaginação é que manda nas combinações que querem utilizar, mas o verdadeiro segredo das bruschettas é utilizar pão duro e passar por azeite de boa qualidade, o que vai fazer com que quando estiver no forno, fique muito muito estaladiça, mas absorva o azeite todo, e quando se dá uma trinca, vai ficar crocante por fora e suculenta no centro!!


E assim acabam os meus festejos deste dia mundial do pão, mas a verdade é que um ingrediente tão importante e tão saboroso acaba por ser celebrado todo os dias, seja com pão com pão, seja com pão com algo, seja em torradas, tostas, Sandwich, bruschettas, canapés, sopas, açordas ou tudo o que quiserem... Mas é mesmo importante não desvalorizarmos este alimento que é a base de toda a nossa alimentação, e que pode ser muito útil para fazer receitas simples e económicas, e que nestes tempos mais complicados podem fazer toda a diferença, sem por isso serem menos deliciosas!!


Espero que tenham gostado, e bons cozinhados!!
Até breve!! ;)

2 comentários:

  1. Olá,
    uma excelente maneira de comemorar o dia do pão.
    Eu adoro açorda. E essas bruschettas devem ter ficado uma delícia.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar